Por que o treinamento de funcionários é tão importante?

Seja qual for o ramo de atuação, o treinamento de funcionários é fundamental para que a empresa alcance excelência no atendimento e na operação como um todo. No caso de um restaurante, a capacitação dos colaboradores torna-se indispensável para se garantir um alto grau de satisfação dos clientes.

E por que treinar? Como você sabe, ninguém nasce sabendo tudo, não é mesmo? Por mais que algumas atividades requeiram menos conhecimentos técnicos, quase sempre há possibilidades de melhoria. Um exemplo: buscar maneiras mais eficientes de lavar os pratos do restaurante.

No post de hoje você vai conhecer alguns motivos pelos quais vale a pena investir em treinamento de funcionários. Confira!

Condições para uma operação eficiente

Na maior parte das atividades (empresariais ou não) é normal haver oportunidades de melhoria. Método, técnica, profissional, tempo, local, equipamento etc. são alguns dos fatores que estão envolvidos na realização de uma tarefa e, portanto, podem ser aperfeiçoados nos processos produtivos. 

Treinamento para a empresa fazer mais com menos

Ao encontrar um jeito mais rápido, barato ou excelente de fazer uma atividade, a empresa não só economiza em termos financeiros como também aumenta a probabilidade de oferecer um serviço que satisfaça o cliente.

É bem verdade que, muitas vezes, o negócio não encontra as competências (conhecimentos, habilidades e atitudes) dentro do próprio estabelecimento. Assim, é necessário buscar fora aquilo que falta para a equipe alcançar um alto grau de excelência.

Uma vez supridas as lacunas existentes na operação, a tendência é a empresa dar um salto em eficiência, já que o treinamento contribui para que os funcionários façam mais com menos recursos.

Transferência de conhecimento

Por exemplo, ao se trazer para a empresa um profissional gabaritado na área de atuação, é possível que os funcionários aprendam com ele o chamado know-how (em inglês, “saber fazer”) de várias atividades. Assim, a transferência da experiência de quem ministra o curso funciona com uma injeção de conhecimento no capital humano da empresa.

Como consequência, os funcionários da casa tendem a incorporar tal prática e, geralmente, não esquecem o que foi aprendido. Desse modo, o investimento em treinamento passa a somar no ativo intangível do restaurante.

Aperfeiçoamento das habilidades dos colaboradores

Na fase de recrutamento e seleção de colaboradores para um restaurante, é normal encontrar pessoas que têm certa experiência acumulada no ramo. Ainda assim, esses profissionais podem precisar de capacitação para atender às necessidades específicas do estabelecimento.

Formação de padrão de qualidade

Nesse caso, o treinamento de funcionários permite que a empresa faça uma espécie de “nivelamento” de conhecimento, o qual possibilita a construção de um padrão de qualidade próprio. Assim, o cliente final poderá esperar um mesmo tipo de atendimento, seja qual for o colaborador que executar o serviço.

Além disso, o treinamento de funcionários, quando realizado “in company” (nas dependências do negócio), abre possibilidades de melhoria por meio de sugestões dos colaboradores que estão há mais tempo na empresa. Os cursos, por exemplo, proporcionam momentos de troca de ideias, nos quais pode ser moldado o aperfeiçoamento nos processos internos.

Criação de vantagens competitivas

Ser o melhor restaurante de determinado segmento em um bairro ou até mesmo em uma cidade não é algo que se alcança do dia para a noite, concorda? Tal conquista, quase sempre, representa um “conjunto da obra”. Logo, não basta só ter a comida mais preferida, é preciso também oferecer instalações aconchegantes e atendimento prestativo.

Passo à frente em relação à concorrência

O treinamento de funcionários é um forte estímulo para que a empresa crie vantagens competitivas e se diferencie dos concorrentes. A propósito, a chamada sinergia de esforços é uma facilitadora desse processo. Em linguagem simples, significa que duas pessoas bem treinadas trabalham por três ou mais.

Como assim? Na prática, o treinamento reduz determinados gargalos e falhas que impedem uma execução mais eficiente das atividades. Para você ter uma ideia disso, muita gente realiza certos serviços de um jeito inadequado porque “sempre ouviu dizer que era assim”. Contudo, com o treinamento profissional, a pessoa abandona os “achismos” e passa a ter uma atuação mais técnica.

Contribuição para a expansão da empresa

Consolidar um negócio não é uma tarefa simples, expandi-lo, então, torna-se um desafio ainda maior. Primeiro, o proprietário deve fazer com que as “engrenagens” da empresa funcionem em harmonia. Depois, há a necessidade de replicar o modelo para as novas unidades.

Círculo virtuoso de aprendizagem

Nesse caso, o treinamento de profissionais contribui para que o restaurante aprimore um método próprio de formação de colaboradores. Tal iniciativa pode ser muito útil mais tarde, por exemplo, caso o dono opte pela expansão via franquias.

Em muitas situações, os profissionais treinados podem ser instrutores em outras unidades. Assim, além de eventual conhecimento teórico, eles podem agregar a prática do dia a dia do negócio nas aulas ministradas.

Agora você entende por que o treinamento de funcionários é tão importante para um negócio, não é mesmo? Entretanto, talvez ainda tenha dúvida sobre quando e como realizar esse tipo de capacitação, certo?

Mapeamento de competências

Saiba que é recomendável identificar as necessidades ou pontos fracos do trabalho da equipe, para só depois treiná-la de acordo com as carências detectadas. Dessa forma, a empresa atua de maneira focada na resolução de problemas ou na busca por melhoria contínua.

Caso contrário, corre-se o risco de investir em qualificação que não tenha a ver com as atividades desenvolvidas pelo negócio. Como consequência, o capital aplicado no treinamento não gera valor para o estabelecimento.

É importante lembrar que, conforme o tipo de conhecimento desejado pela empresa, as aulas podem ser “in company” ou por meio de educação a distância (EaD). Em alguns casos, é possível adquirir cursos prontos ou contratar capacitações customizadas para o negócio.

Por fim, é necessário diferenciar o treinamento de funcionários do desenvolvimento de talentos. Embora os dois termos façam parte do universo da gestão de pessoas, no primeiro caso trata-se de capacitação com foco no curto prazo, para suprir demanda específica do negócio, já no segundo, a ideia é preparar o colaborador para assumir determinada posição na empresa, mas no horizonte de médio e longo prazo.

Quer aprender mais para melhorar o capital humano do seu negócio? Leia também o post Funcionários de restaurante: como manter tudo em ordem?.

Deixe um comentário