A profissão de vendedor ambulante é uma das mais antigas e com a crise econômica dos últimos anos, essa tornou-se uma alternativa rentável para quem está desempregado e procura por uma recolocação no mercado de trabalho. Porém, até mesmo para quem precisa de uma renda extra no final do mês, esse modelo de negócio pode ser a escolha ideal.

Tanto no Brasil quanto em outros países, o comércio ambulante sempre foi uma boa saída para quem busca um investimento lucrativo e seguro. Cada vez mais esse tipo de profissão vem ganhando espaço no mercado.

Inclusive, no Brasil, essa procura tem crescido tanto que de acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), por meio da pesquisa Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio), entre 2014 e 2017 o número de ambulantes cresceu mais de 1,7 milhão. Além disso, a pesquisa também apurou que somente 5% desses trabalhadores possuem a licença para atuar na área de maneira legal. 

Se você está considerando ser um vendedor ambulante, esse post é para você! Aqui, falaremos um pouco sobre a profissão e também daremos algumas dicas essenciais para quem deseja trabalhar com esse tipo de comércio.

O que é ser um vendedor ambulante?

O profissional ambulante, na grande maioria das vezes, é um vendedor autônomo. Ele vende os seus produtos nas ruas ou em lugares fixos ao ar livre, como em carrinhos, barraquinhas, quiosques ou food trucks, essa é a sua principal ferramenta de trabalho.

Saiba mais sobre food trucks e como abrir o seu, temos um conteúdo de qualidade aqui no site que vai tirar todas as suas dúvidas.

A variedade de produtos que podem ser comercializados pelo ambulante também é grande, desde os do gênero alimentício, como pipoca, sanduíches, churrasquinhos e algodão doce até artesanatos, de produção própria ou a revenda de produtos terceirizados como eletrônicos, roupas, utensílios domésticos e muito mais.

O trabalho do vendedor ambulante pode ser integral, ou seja, ele tem dias e horários fixos para comercializar os seus produtos. O trabalho também pode ser sazonal, assim, o ambulante trabalha apenas em um período, como no caso dos ambulantes de bebidas no carnaval. 

Mas seja qual for a escolha do ramo e do período de atuação, é indispensável emitir uma licença para não correr o risco de ter os produtos apreendidos. 

food truck de lanche

Qual a vantagem de vender na rua?

Para quem está desempregado e em busca de uma oportunidade ou para quem precisa complementar a renda mensal, a principal vantagem do trabalho como ambulante é a possibilidade de poder ser o seu próprio patrão. Além disso, o investimento inicial é baixo, em relação a outros modelos de negócio, há também uma grande flexibilidade em relação aos horários.

Para quem opta por ser ambulante no ramo alimentício, a grande vantagem é a praticidade para o consumidor. Com a correria do dia a dia, muitas vezes, parar para fazer um lanche em um carrinho de rua é muito mais rápido e prático do que ter que ir até um restaurante.

Além disso, os preços acabam sendo muito mais atrativos ao consumidor. Isso se deve pois, como ambulante, não é necessário ter gastos com aluguel de ponto comercial e outros impostos, o que ajuda a baratear o valor do produto vendido. 

Geralmente quem faz a fiscalização dos ambulantes nas cidades é o município, por meio da prefeitura, da Secretaria de Urbanismo ou da Secretaria de Serviços Públicos. Para que tudo esteja legalizado e de acordo com a lei é a prefeitura que que pode regularizar e autorizar os autônomos para exercer a profissão.

Como se regularizar como ambulante?

A autorização e regularização do profissional ambulante pode variar de acordo com cada município, mas mesmo assim, em todos ela é indispensável. Na grande maioria dos municípios basta dirigir-se até a prefeitura para fazer a solicitação.

Na região de São Paulo é possível fazer essa solicitação totalmente online, por meio da plataforma Tô Legal. No site, o futuro ambulante tem acesso a lista de documentos necessários, a um mapa da cidade que mostra todos os pontos disponíveis para atuação, manual do usuário, legislação e outras informações importantes.

Depois de preencher o cadastro e fornecer os documentos solicitados, o próximo passo é efetuar o pagamento da DAMSP (Documento de Arrecadação do Município) para conseguir a autorização temporária. É cobrado uma taxa de R$10,72 por dia, mas esse valor pode variar para mais dependendo da região de atuação e também do tamanho por metro quadrado utilizado.

Para quem deseja atuar em Curitiba, não é cobrada nenhuma taxa, entretanto, o futuro ambulante precisa cumprir com alguns requisitos como respeitar o horário de funcionamento do comércio e ter definido qual tipo de produto será comercializado. 

Também é necessário residir na cidade por um período antes de fazer a solicitação. Além disso, o formulário e os documentos solicitados devem ser entregues na Secretaria Municipal de Urbanismo.

Em capitais turísticas como Salvador e Rio de Janeiro, cidades em que o número de turistas é grande, principalmente no período do carnaval, a procura pela regularização também é enorme. Inclusive no Rio de Janeiro existe fila de espera para conseguir emitir a licença.

De qualquer maneira, para conseguir a regularização na capital Fluminense, o profissional deve procurar a IRLF (Inspetoria Regional de Licenciamento e Fiscalização) do seu bairro ou da região em que pretende trabalhar.

Já em Salvador, o órgão que faz a regulamentação é a Secretaria da Ordem Pública. Então o futuro ambulante precisa entregar os documentos solicitados, uma carta redigida a próprio punho contendo informações sobre o produto que será vendido e em qual região deseja atuar. Além disso, também é cobrada uma taxa de R$8,83 referente ao PSE (Preço de Serviço de Expediente).

Documentos solicitados

Mesmo que o órgão ou as regras de atuação mudem, na maioria dos municípios os documentos solicitados são os mesmos, RG, CPF (Cadastro de Pessoa Física) e Título de Eleitor com quitação eleitoral. 

De qualquer maneira, esteja atento, pois em algumas regiões pode ser pedido também uma declaração de antecedentes criminais, um atestado médico comprovando que o ambulante não tem nenhuma comorbidade ou doença infectocontagiosa e até mesmo o cadastro de contribuinte imobiliário.

Dicas para ser vendedor ambulante

E então, está tendencioso a embarcar de vez no ramo? Veja algumas dicas essenciais que listamos aqui: 

Aposte no Ramo Alimentício

Vender produtos alimentícios indica um baixo custo de investimento e vendas mais eficazes, afinal de contas a procura e saída por comidas é muito maior. Você pode escolher aquilo pelo qual se identifica mais quando o assunto é produção. 

Algumas opções rentáveis são: churros, cachorro-quente, espetinho, picolé, crepe, algodão-doce e pipoca. Só esteja atento a higiene no manuseio e qualidade dos produtos que serão comercializados.

Se tiver alguma dúvida, temos um conteúdo aqui em nosso blog com 4 opções de produtos para vender no comércio ambulante.

Venda produtos de qualidade

Se quiser se destacar e sair na frente da concorrência, você deve considerar, em primeiro lugar, a qualidade dos seus produtos – afinal, ninguém quer consumir “qualquer coisa” só porque está na rua. Se você oferecer produtos de qualidade, mesmo que com um preço um pouquinho mais alto, com certeza terá um excelente retorno.

Quando o assunto é alimento a qualidade deve ser ainda mais rigorosa: o cliente leva em conta desde a higiene do ambiente até o aspecto do alimento. Escolha ingredientes de alto padrão para satisfazer o consumidor.

Escolha um ponto estratégico

Ter uma boa localização é essencial para faturar em suas vendas. Aproveite que seu negócio é móvel e posicione-se em lugares de maior movimentação de pessoas: próximo a escolas, praças, centro da cidade, pontos de ônibus, enfim, onde você vá encontrar seu público. 

Assim, você irá levar o produto necessário para o comprador: crianças e adolescentes amam algodão doce, raspadinha e churros, por exemplo, portanto, localizar-se na frente da escola nos horário de entrada e saída dos alunos, é venda na certa!

Simpatia e bom atendimento

Um bom atendimento é indispensável em todo tipo de comércio. As pessoas valorizam muito um atendimento cordial e solícito, portanto, coloque sempre a opinião dos consumidores em primeiro lugar e faça de tudo para agradá-los. Quanto mais comunicativo e atencioso, mais chances de virar referência no ramo você terá.

mulher com sanduiche na mão

Se você pretende se inserir no ramo, com essas dicas esse processo será muito mais simples e as suas chances de lucro e sucesso serão enormes. Coloque alguns desses pontos em prática e conte-nos a sua experiência nos comentários. 

Aproveite também para ler o nosso conteúdo sobre cross merchandising e aprenda como alavancar as vendas!

banner equipamentos castellmaqPowered by Rock Convert