Como a tecnologia em alimentos vem avançando?

Gerir um negócio no ramo gastronômico requer um olhar atento sobre as novidades da tecnologia em alimentos.

Hoje vemos consumidores cada vez mais preocupados com uma vida equilibrada, buscando ingredientes e sabores novos, assim como produtos alternativos ao açúcar, sódio e gorduras — sobre os quais até pouco tempo não tínhamos informações suficientes para constatar o efeito que causavam, devido ao consumo em excesso.

Uma tendência cada vez maior por opções de alimentos naturais, orgânicos e livres de aditivos químicos artificiais vai exigir da indústria uma melhoria contínua em seus processos, o que pode impactar diretamente toda a cadeia produtiva.

O empreendedor que souber utilizar a tecnologia a seu favor não apenas terá um grande auxiliar no dia a dia, mas uma oportunidade para se diferenciar no mercado. Então, que tal conhecer alguns avanços da tecnologia relacionada aos alimentos e como eles podem ajudar na gestão do seu negócio? Confira!

Inteligência artificial e Big Data

Big data é a gestão, cruzamento e interpretação de dados que circulam pela internet.

Por meio da inteligência artificial, essa quantidade gigantesca de informação pode ser utilizada na previsão de determinados tipos de acontecimentos, como um engarrafamento no trânsito ou indicação da sua próxima série favorita da Netflix.

Então, se a inteligência artificial é capaz de dizer qual filme assistir e acertar em cheio, ou informar o nome da rua que você deve evitar na hora do rush, imagine o que ela pode fazer por seu restaurante!

Se compararmos com uma situação que não envolve a análise de dados por computadores, seria o equivalente a um cliente antigo que frequenta seu restaurante há anos: você já sabe qual bebida ele vai pedir, o ponto da carne e a sobremesa preferida.

No caso da inteligência artificial e big data, você não necessita muito tempo para conhecer o cliente. Basta ter o e-mail dele que os computadores fazem o restante do serviço.

Como isso acontece?

Todos os dias vemos os hábitos alimentares da população documentados nas redes sociais. O Instagram está repleto de fotos de comida e influenciadores surgem a todo instante para mostrar seus novos restaurantes favoritos.

A mobilidade e a conveniência de compartilhar e pesquisar tudo o que comemos podem ser transformadas em valor para sua empresa.

Com big data e inteligência é possível oferecer aos clientes uma experiência personalizada, com recomendações de produtos ou combinações que valorizem e ressaltem o que eles mais gostam — gerando a mesma reação de satisfação que aquele cliente antigo tem quando você serve o bife no ponto que ele mais gosta.

Outra questão a ser observada é que os consumidores estão acompanhando de perto todo o processo de fabricação de alimentos, desde onde a semente foi plantada até as etapas de colheita, transporte e transformação dos produtos em uma refeição.

A inteligência artificial é utilizada para monitorar esse caminho. Hoje, muitas empresas estão investindo na rastreabilidade de seus produtos nas embalagens por meio de QR Code e código de barras — assim, todos terão acesso à informação.

A transparência nesse processo é cada vez mais um fator de diferenciação na escolha do alimento que vai para a mesa do cliente.

Nanotecnologia

Na alimentação ela pode ser aplicada para retardar o processo de deterioração. É chamada de nano ou microencapsulação e se tornou uma das tendências mais modernas da tecnologia em alimentos.

É um procedimento que “encapsula” e protege componentes sensíveis (e invisíveis ao olho humano) do próprio alimento, tornando-o mais resistente às variações de temperatura e ações do oxigênio, luz e umidade.

Ou seja, ele aumenta o prazo de validade de produtos perecíveis, potencializando as características dos alimentos. Inclusive, pode ser utilizado para aumentar o valor nutricional por meio da adição de vitaminas e outras características benéficas para a saúde, como propriedades antimicrobianas ou anti-inflamatórias.

Essa mesma tecnologia também pode ser aplicada às embalagens destinadas aos alimentos, já que sua implementação impede a proliferação de micro-organismos que podem estragar o produto antes de o prazo de validade terminar.

Com uma vigilância cada vez maior na área de segurança alimentar, a nanotecnologia pode ser uma aliada poderosa na hora de gerir os estoques sem grandes preocupações.

Pode ser complicado, em um primeiro momento, saber todo o potencial da nanotecnologia, mas atente para seu fornecedor: ele está investindo nisso? Se sim, pode ser o começo de um belo relacionamento comercial.

Cozinha molecular

Apesar de o nome aparentar algo destinado aos laboratórios, a cozinha molecular nada mais é que o processo químico ou físico utilizado para a montagem de qualquer prato. Muitas pessoas executam esses processos intuitivamente ao prepararem uma refeição.

Geralmente consideramos os conselhos dos mais experientes na hora de cozinhar. Se tratando de um restaurante, pode ser um diferencial e tanto conhecer a ciência exata por trás de cada prato.

A cozinha molecular pode ser utilizada para a criação de novas técnicas de preparo. Um bom exemplo é fazer sorvete instantaneamente com o auxílio de nitrogênio líquido.

Também dá para saber por que o suflê não fica com aquela textura aerada, já que a cozinha molecular prova (cientificamente) que a melhor maneira de cozinhá-lo é fazer com que a fonte de calor utilizada para aquecê-lo esteja embaixo dele. Assim a água evapora, impulsionando a massa para cima e deixando as bolhas de ar que faltavam na receita.

Explorar diferentes cores, sabores e texturas da cozinha molecular é um processo altamente valorizado pelos clientes, principalmente se puderem compartilhar a experiência nas redes sociais. Portanto, não deixe de acrescentar um pouco de ciência a sua cozinha.

Maquinário moderno

A escolha do equipamento que vai compor seu restaurante deve ser encarada com responsabilidade. Aquela história de que “o barato sai caro” costuma ser verdadeira, principalmente quando lidamos com alimentação.

Na hora de investir, opte por maquinários mais modernos e inteligentes. Apesar de serem mais caros, o investimento será compensado pela redução de custos, durabilidade do material e até pelo design que pode agregar positivamente na decoração de seu estabelecimento.

Ter a tranquilidade de que sua geladeira avisará quando um produto estiver perto do vencimento ou poder observar o interior do forno por meio de câmeras — que possibilitem ver o alimento sem precisar abrir a porta — são avanços que já estão presentes no mercado. Vale a pena investir no maquinário que auxiliará na condução de seu negócio.

Essas foram apenas algumas das tendências na tecnologia em alimentos. A constante e rápida evolução na área vai demandar atenção especial do empresário que busca se destacar. A dica é acompanhar os sites e blogs especializados e lançamentos de novos produtos para estar sempre um passo à frente da concorrência.

Quer ficar por dentro do que acontece no mundo da tecnologia e suas aplicações no ramo gastronômico? Então, assine nossa newsletter e acompanhe de perto todas as novidades.

 

Deixe um comentário