A palavra gourmet vem sendo cada vez mais utilizada para classificar estabelecimentos, pratos ou ingredientes diferenciados. Atualmente, é possível encontrar brigadeiros gourmet, sorvetes gourmet, salgadinhos gourmet e, até mesmo, pipoca com essa denominação. Mas afinal, o que é de fato um restaurante gourmet e por que um estabelecimento pode ser classificado dessa forma?

A palavra vem do francês e foi utilizada pela primeira vez em 1825, pelo gastrônomo Brillat Savarin no livro “A fisiologia do gosto”. Depois, foi empregada na publicação de Grimod de la Reynière, intitulada “Almanach des Gourmands”. O livro é datado do início do século XIX e classificava restaurantes da França.

Em linhas gerais, o termo gourmet designa um restaurante pertencente à alta gastronomia, que utiliza ingredientes especiais e requintados. Entretanto, não necessariamente chiques ou caros. O diferencial está na procedência dos alimentos.

No Brasil, é comum encontrar restaurantes gourmet que sejam pequenos e tradicionais, que desenvolvem uma culinária simples, mas com ingredientes de alto nível, orgânicos, comprados de pequenos produtores. O que vale é apostar em algo diferenciado, fugindo de fornecedores, como multinacionais.

Agora que você já sabe o que é um restaurante gourmet, confira 5 dicas para montar ou seu!

1. Compre alimentos diferenciados

A principal preocupação de um dono de restaurante gourmet deve ser com relação aos ingredientes. É muito importante escolher fornecedores de qualidade. Como não há um consenso sobre o tipo de comida gourmet ou comum, o que conta para de fato poder classificar um estabelecimento como gourmet é a procedência dos alimentos servidos.

É importante apostar em pequenos produtores e fugir das multinacionais. O Brasil é um país muito rico e que tem inúmeros alimentos especiais e típicos de cada região. Montar um cardápio utilizando ingredientes orgânicos de produtores locais, ou mesmo de outras regiões, agrega muito valor à comida servida.

Não é necessário desenvolver pratos extremamente requintados. Um restaurante de comida mineira, especialidade gastronômica considerada simples, pode ser gourmet, caso os ingredientes sejam diferenciados. É possível utilizar apenas ovos caipira, carnes de pasto, folhas e legumes orgânicos, queijos e doces típicos artesanais, entre outras iguarias.

2. Tenha funcionários qualificados

Em um restaurante gourmet, toda a experiência do cliente conta. Por isso, é importante investir não apenas em ingredientes diferenciados, mas também em funcionários qualificados.

Toda a sua equipe precisa ser bem treinada e zelar pelo bom atendimento ao consumidor. Os garçons devem ser solícitos, pacientes e atentos.

O mesmo vale para a equipe da cozinha. É crucial encontrar um bom chef e bons ajudantes, pois são eles quem vão desenvolver os pratos que serão servidos. E, em um restaurante, a principal preocupação deve ser com a qualidade da comida.

Muitos chefs constroem um nome no mercado, e encontrar alguém já consolidado como competente ajuda o estabelecimento a deslanchar. Entretanto, nada lhe impede de apostar em um profissional novo e criar, junto com ele, um cardápio inovador e de qualidade.

Ao montar a equipe, é necessário ter em mente o horário de funcionamento do restaurante. Em linhas gerais, para um estabelecimento de médio porte, é necessário ter um chef e pelo menos três ajudantes por cada turno de oito horas. Também é indicado disponibilizar um garçom para atender, no máximo, cinco mesas.

Dessa forma, você garante a qualidade do serviço prestado e consegue a fidelização dos clientes.

Não se esqueça da limpeza. É importante ter, pelo menos, uma pessoa responsável por esse setor por turno. Um gerente e um funcionário no caixa também devem estar trabalhando a cada oito horas.

3. Acerte na instalação e compra de itens necessários

A escolha da instalação ideal é importante. Buscar regiões já consolidadas, como áreas gastronômicas, ajuda muito no início do negócio, pois muitos clientes que são fiéis a outros estabelecimentos passarão pelo novo restaurante e podem se interessar e entrar para conhecer.

Além disso, é mais fácil encontrar algum imóvel que já tenha abrigado um restaurante previamente e tenha sido reformado para conter banheiros e cozinha ideais. Entretanto, nada lhe impede de apostar em um bairro novo ou região inusitada, e desenvolver um estabelecimento ainda mais diferenciado e exclusivo.

Inevitavelmente, para criar toda a identidade do restaurante, será necessário investir em decoração e reformas, então, caso o imóvel escolhido não tenha sido utilizado para esse fim anteriormente, você mesmo deve promover as adaptações necessárias.

4 Adquira equipamentos de qualidade

Além de investir em alimentos diferenciados, é necessário contar com equipamentos de qualidade para a cozinha. Um restaurante deve contar com, pelo menos:

  • forno industrial;

  • fogão industrial;

  • exaustores;

  • panelas de tamanhos variados;

  • mesas e bancadas para a cozinha;

  • utensílios como colheres, facas, garfos, maçaricos, raladores, etc;

  • copos;

  • abridores de garrafas e latas;

  • bandejas;

  • mesas para os clientes, cadeiras comuns e para crianças;

  • toalhas de mesa;

  • pratos;

  • paliteiros e porta-guardanapos;

  • caixas para pagamento;

  • extintores de incêndio;

  • ventiladores ou ar-condicionado.

5. Decore o seu restaurante

Invista ainda na decoração do espaço. Opte por um mobiliário bonito e confortável, fique atento ao piso, cores das paredes, objetos de decoração. Caso não sinta-se confortável, chame um profissional para lhe ajudar nesse quesito. É importante focar não apenas na qualidade do menu servido, como também na adequação do ambiente à atmosfera gourmet.

Agora que você já conhece algumas dicas importantes para ter um restaurante gourmet, não se esqueça da burocracia. É necessário registrá-lo na junta comercial da sua cidade, porém, os procedimentos são diferentes caso seja uma sociedade ou um empreendimento individual.

Em seguida, é importante fazer o cadastro do CNPJ do restaurante na Receita Federal, para garantir a inscrição estadual e o registro. Não se esqueça da necessidade de obter o alvará de funcionamento, expedido pela prefeitura, e de cumprir todas as normas da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para poder abrir as portas e receber seus clientes com segurança.

Cumprindo a parte burocrática com responsabilidade, investindo em equipamentos de qualidade, funcionários bem treinados, ingredientes diferenciados e um cardápio exclusivo, você, certamente, terá em suas mãos um restaurante gourmet com tudo para torna-se um grande sucesso!

Ficou com alguma dúvida ou quer contar um pouco sobre a sua experiência no ramo da gastronomia? Deixe um comentário no post e entre para a conversa!

Powered by Rock Convert