Para obter sucesso, um restaurante deve preencher alguns requisitos básicos, como riqueza e qualidade das opções oferecidas aos clientes, ambiente agradável, excelência no antedimento e assim por diante. Afinal, em um segmento tão competitivo, é fundamental saber lidar com a concorrência e se destacar.

Para isso, é imprescindível saber montar um bom cardápio, que ofereça algo de exclusivo e, ao mesmo tempo, tenha o que as pessoas buscam. Em outras palavras, é desejável saber inovar sem perder as bases tradicionais.

Neste post, para te ajudar, listamos algumas dicas incríveis para disponibilizar um menu que cativará a clientela. Continue lendo e confira!

Defina uma identidade

Quando o restaurante tem uma personalidade estabelecida, suas chances de ser reconhecido crescem exponencialmente. A partir desses conceitos, a elaboração dos cardápios fica mais fácil. Então, antes de tudo, escolha uma identidade que represente bem o empreendimento.

Para encontrá-la, responda a estas perguntas:

  • Quais serão as especialidades da casa?
  • Como você deseja que o seu restaurante seja visto pelas pessoas?
  • Por qual tipo de prato ele se tornará uma referência?

Moldar uma marca e fortalecer seu nome é um processo intimamente relacionado à definição de uma identidade. E definir qual público se pretende atingir e quais serão os diferenciais oferecidos faz parte desse primeiro passo para aumentar as vendas.

Pense na estrutura

Montar um bom cardápio que esteja de acordo com o perfil do estabelecimento não é uma tarefa tão complicada, ainda assim, diversos detalhes podem se apresentar no meio do caminho.

Um dos maiores erros que podem ser cometidos antes de se pensar no menu é esquecer a estrutura do restaurante, por exemplo. Após a concepção de uma identidade, é recomendado que os gestores levem em conta quais são as reais condições que o empreendimento tem para que determinada ideia seja colocada em prática.

Alguém que deseja abrir uma cantina de comida italiana, por exemplo, deve planejar minuciosamente sua gestão de compras. Caso contrário, de nada adiantou ter elaborado esse conceito.

Outros pontos também carecem de análise:

  • o espaço físico, que deverá comportar a identidade imaginada;
  • o armazenamento e o transporte dos produtos que serão necessários;
  • a capacidade de mantê-los disponíveis com regularidade.

Escolha os pratos para montar um bom cardápio

Quando já se conhece a personalidade que o restaurante deve ter e as condições estruturais disponíveis, escolher os pratos é algo bem mais viável. Então, é hora de pensar nas relações que eles estabelecem entre si.

Para isso, é importante olhar para toda a conjuntura. Afinal, não é uma boa ideia oferecer cardápios desequilibrados, que sejam marcados por apenas um ingrediente ou que tenham sempre as mesmas entradas.

Pense também nas possíveis restrições alimentares dos clientes — fingir que elas não existem podem afastá-los de vez. Tenha, ao menos, um prato principal sem carne, ou totalmente composto de ingredientes veganos. Lembre-se: as pessoas também se encantam pela variedade, e não só pela elegância.

Inclusive, contar com a ajuda do chef responsável pela cozinha pode ser de grande ajuda nesse momento, propondo ideias ou sugerindo pratos que sejam assinados exclusivamente por ele. Além disso, saber o que ele pensa pode otimizar o trabalho na cozinha.

De toda forma, como já dito, não se deve primar pelas inovações e deixar o tradicional de lado, ao menos que isso faça parte do perfil escolhido. No geral, vale a pena equilibrar os dois elementos.

Busque pelos melhores ingredientes

Bom, com os pratos em mente, você já sabe quais ingredientes serão necessários para fazer as receitas escolhidas. Mas é nessa etapa que muitos gestores ou donos de restaurantes erram bastante.

Grande parte dos donos acabam pensando que, ao economizar nos ingredientes, eles estão fazendo um grande negócio. Mas um prato feito com produtos frescos e de qualidade apresentará um sabor muito superior àqueles feitos com as opções mais baratas — fator que tem interferência direta no resultado final com o cliente.

O ideal é fazer uma boa pesquisa e ter contato com os melhores fornecedores. Dessa forma, é perfeitamente possível encontrar uma melhor relação de custo-benefício, sem sacrificar a qualidade dos pratos.

Além disso, vale frisar que o desperdício é sempre um dos piores inimigos de quem tem qualquer tipo de comércio alimentício. Por isso é que a aquisição de produtos precisa de um planejamento muito bem traçado

Ainda outras dicas podem ser levadas em consideração:

  • utilizar produtos locais;
  • considerar a época fértil de determinados legumes, frutas e verduras;
  • oferecer pratos cuja disponibilidade não dependa do fornecimento;
  • ser capaz de cumprir aquilo que o cardápio promete;
  • não fazer alterações súbitas na composição das refeições;
  • não contar com a boa vontade dos clientes para entender a falta de disponibilidade de algum ingrediente.

Opte por um formato atrativo

Se o conteúdo do cardápio dá água na boca, o seu exterior também deve fazê-lo. Assim, o layout precisa ser pensado do começo ao fim, de modo que esteja contextualizado com os outros elementos visuais do restaurante: mesas, toalhas, fachada, talheres etc.

O formato de livro é um dos mais utilizados atualmente, pois possibilita que a clientela passeie pelas páginas sem se preocupar muito com os preços. Só não se esqueça de tomar cuidado com o português: um menu mal escrito pode tirar toda a credibilidade do estabelecimento.

Além disso, pratos diferenciais — que sejam mais vendidos ou que possam ser considerados como as “especialidades da casa” — merecem todo o destaque. Se puderem aparecer logo nas primeiras páginas, melhor ainda!

As bebidas precisam de uma seção exclusiva, e tão atrativa quanto os pratos. Aliás, é possível fazer recomendações de vinhos que harmonizam bem com uma refeição, por exemplo. Isso soluciona uma das dúvidas mais frequentes e já encaminha os clientes para a compra de ambos.

Por fim, os preços, os principais ingredientes utilizados e os componentes que podem causar reações alérgicas devem ser claramente especificados. E outras informações úteis, como promoções, informativos e afins, podem aparecer nas últimas páginas.

Bom, como vimos, montar um bom cardápio é tão importante quanto manter uma boa limpeza ou escolher o melhor tipo de refrigerador. São eles que farão seu restaurante ser respeitado pela crítica e adorado pelo público. Então, tome muito cuidado ao pensar nele!

E aí, gostou do post? Agora, se quiser receber mais dicas como essas diretamente em seu e-mail, aproveite para assinar gratuitamente a nossa newsletter!

Powered by Rock Convert