O serviço de franquia começou nos Estados Unidos, por volta do século XIX. De lá para cá, ele cresceu e se consolidou como uma das formas mais seguras de se investir no negócio próprio. As franqueadoras, empresas responsáveis pelas marcas, detêm o conhecimento necessário para, com o apoio dos franqueados, expandir as suas operações.

Na dúvida de, por exemplo, onde abrir um restaurante da franquia, a franqueadora possui os estudos necessários que dizem se a ideia é viável ou não. Para que você entenda o funcionamento desse modelo de negócio, preparamos este artigo que fala mais sobre as especificações, regras e curiosidades sobre ele.

Continue lendo e saiba como funciona o serviço de franquia!

O que é uma franquia?

O funcionamento do serviço de franquia soa familiar para todos nós, devido à existência de um grande número de redes espalhadas pelo Brasil e o mundo. Por mais que não tenha estudado profundamente sobre o assunto, você sabe que a empresa que é uma franquia tem o direito de utilizar a marca de outra.

Podemos comparar o seu funcionamento ao de uma licença, que libera o uso tanto da marca quanto do modelo de negócios na comercialização de produtos e serviços. Isso tudo é cedido mediante determinadas condições que são firmadas em um contrato. Nesse caso, quem cede os direitos é chamado de franqueador e, quem recebe, franqueado.

Surgimento do termo

Oficialmente, considera-se que o termo franquia surgiu no ano de 1862, nos Estados Unidos — um dos países pioneiros nesse modelo. A fabricante de máquinas de costura I.M. Singer & Co. foi a responsável por utilizar o sistema pela primeira vez. Na época, ela permitiu que operadores proprietários independentes comercializassem seus equipamentos.

Por meio desse modelo de negócios, os operadores desfrutavam do prestígio da empresa, afinal, agiam como representantes dela. Foi desse modo que a Singer conseguiu aumentar a venda dos seus produtos, alcançando uma grande fatia do mercado norte-americano sem a necessidade de realizar altos investimentos.

A Guerra Civil, que ocorreu entre 1861 e 1865, causou a urbanização do oeste e das áreas centrais do país. Isso contribuiu ainda mais para o crescimento da economia, provocando uma expansão industrial e a solidificação do capitalismo — apesar das dificuldades que drenaram os recursos financeiros do norte e arruinaram as finanças no sul.

Essa necessidade de expansão fez com que muitos comerciantes, de várias localidades, começassem a adotar o modelo de negócio da Singer. Os fabricantes de máquinas agrícolas e de veículos automotivos adotaram o franchising, termo em inglês para o ato de franquear. Em 1898, a General Motors adotou o serviço de franquia para expandir a sua rede de revenda de carros.

No ano seguinte, a Coca-Cola também passou a conceder franquias, tanto de engarrafamento quanto de distribuição dos seus refrigerantes. Sem a utilização do modelo de negócios proposto pela franquia, dificilmente essas e outras empresas teriam alcançado níveis tão altos de expansão no mercado.

Franquia mais antiga

Acredita-se que a franquia de serviços mais antiga do mundo tenha sido a The Harper Hair Parlour, rede de salões de beleza fundada por Martha Matilda Harper — canadense que se mudou para Nova York em 1882. O seu primeiro salão de beleza obteve um sucesso estrondoso, levando Martha a investir em franchising.

Diante do interesse de outras mulheres pelo seu modelo de negócio, Martha criou o Método Harper e passou a ensiná-lo por meio de um contrato de franquia. Ela realizava treinamentos com as interessadas e somente quem era aprovada recebia o direito de explorar a marca em uma região previamente determinada. Além disso, a franqueada deveria comprar com exclusividade os produtos de Martha.

Em 1920, a rede de Martha chegou a ter mais de 500 unidades que se espalhavam entre Estados Unidos, Alemanha e Escócia. Nessa mesma época, o sistema de franquias se disseminava em outras áreas: supermercados, locadoras de veículos e lanchonetes. A grande popularização do franchising chegou depois da Segunda Guerra.

Franquia na atualidade

Atualmente, encontramos o sistema de franquias em praticamente todos os segmentos de negócios: bares, restaurantes, pizzarias, cafés, bebidas, beleza, saúde, comunicação, informática, construção, imobiliárias, cosméticos, escolas, hotelaria, livrarias, serviços automotivos, conveniências, vestuário e outros mais.

De forma simplificada, podemos afirmar que o sistema de franquia é uma estratégia empresarial utilizada para a distribuição e comercialização de produtos e serviços com base em um modelo único e padronizado de negócios. Esse modelo é caracterizado pela existência de um contrato que concede o direito de uso da marca.

Quais são as vantagens do serviço de franquia?

A utilização do serviço de franquia oferece diversas vantagens, como:

Expansão veloz

O serviço de franquia possibilita ao franqueador mais velocidade na expansão do negócio, principalmente se compararmos com a dependência apenas de recursos próprios para elaborar, instalar, gerir e operar novas unidades. Uma parte desse trabalho já é realizada pela franqueadora, como a elaboração do modelo de negócios.

Mais eficiência

O fato do modelo de negócios estar pronto torna a operação mais eficiente, pois você destina o seu esforço aos pontos estratégicos do negócio. Dessa forma, torna-se possível estar mais próximo dos funcionários, clientes e fornecedores. Isso garante a qualidade, tanto do atendimento prestado quanto dos produtos e serviços oferecidos.

Feedback constante

A franqueadora disponibiliza uma equipe de profissionais cujo objetivo é ajudá-lo na implantação e operação da franquia. Por meio desse auxílio, você obtém um feedback constante, que direciona as suas ações para as melhores práticas. É praticamente uma consultoria permanente.

Ingresso a novos mercados

A aquisição de uma franquia possibilita o seu ingresso a novos mercados, diferentes daqueles em que já está acostumado. Por mais que a sua especialidade não seja a gastronomia, a franqueadora tem o conhecimento necessário para que você aprenda, por exemplo, como abrir um restaurante. 

Marca forte

Iniciar um empreendimento proveniente de uma rede de franquias faz com que o seu negócio já chegue ao mercado protegido por uma marca forte. Quando o negócio é criado por conta própria, leva-se um tempo até que a marca seja reconhecida pelo mercado. No caso da franquia, essa é uma característica desde a sua fundação.

Menos riscos trabalhistas

Os processos estabelecidos pelo modelo de negócios da rede de franquias diminuem os riscos trabalhistas, pois são bem definidos e já foram testados em outras unidades. Isso significa que você recebe um direcionamento em relação ao modo como deve contratar e gerir os funcionários que atuarão na sua unidade.

Afinal, qual é o papel da franqueadora?

Dentro do contexto que envolve a relação do franqueado com a franqueadora, alguns direitos e deveres são distribuídos entre as partes. O primeiro dever da franqueadora que citaremos é o de definir e desenvolver o conceito do empreendimento que será franqueado, ou seja, estabelecer o modelo de negócios.

Cabe à franqueadora testar, na prática, esse conceito, para que o modelo possa ser utilizado por todos os franqueados. Para tal, ela deve experimentá-lo em uma ou mais unidades-piloto. Nesse aspecto, essas unidades devem ser instaladas, operadas e gerenciadas, sempre que possível, pela própria empresa franqueadora.

Por isso, é de responsabilidade da franqueadora estabelecer normas, processos, políticas e padrões que devem ser obedecidos pelos franqueados. Eles são estabelecidos com o objetivo de padronizar a implantação, operação e gestão das franquias, mantendo o mesmo padrão de qualidade observado na rede.

Recrutar e selecionar franqueadores

A franqueadora também assume o papel de recrutar e selecionar os franqueadores, a partir de critérios que são previamente estabelecidos. Quando são escolhidos, ela faz o processo de capacitação dos franqueados e das respectivas equipes de trabalho — ou de uma parte delas, para multiplicar o conhecimento necessário.

Isso ocorre por meio de programas de capacitação que podem ser presenciais, a distância ou híbridos. Também são compartilhados guias de processos, manuais e outros materiais. São eles que garantem aos franqueados o acesso aos conhecimentos para que mantenham o padrão da rede e, ao mesmo tempo, tenham uma chance de alcançar o sucesso.

O trabalho da franqueadora, em relação à capacitação, não para por aí. Cabe a ela manter e capacitar uma equipe qualificada para assessorar, orientar e inspirar os franqueados nos aspectos relacionados ao cumprimento das normas, políticas e padrões que foram previamente estabelecidos.

Outra equipe é designada para apoiar e orientar os franqueados na elaboração e implementação dos planos e ações que visam potencializar os resultados da franquia. Para tal, ela supervisiona e monitora constantemente todos os franqueados e suas respectivas unidades, garantindo a manutenção dos padrões da rede.

Oferecer todo o suporte necessário

A franqueadora deve dar todo o suporte necessário desde a elaboração do projeto do franqueado até o início da operação. Portanto, ela coleta, processa, analisa e difunde conhecimentos que, de alguma maneira, possam impactar positivamente os negócios dos seus franqueados.

Outro aspecto importante que figura entre as responsabilidades da rede é a de ajudar o franqueado a selecionar o ponto comercial. A escolha dele é um dos primeiros fatores que contribuem com o potencial da franquia, pois, dependendo do modelo de negócio, a seleção será feita de modo que a visibilidade da unidade permita a aproximação do público-alvo.

É papel da franqueadora orientar, por exemplo, sobre as características que o ponto deve ter. Ainda nesse contexto, quando o franqueado fecha o acordo com a rede, ela também pode oferecer serviços jurídicos e administrativos para a elaboração do contrato social e demais formalidades legais que visam a abertura da loja.

As franqueadoras possuem um arquiteto, que é o responsável por montar o projeto padrão que serve de referência para todas as unidades da rede. Quando um novo franqueado chega, ele precisa adaptar esse projeto à sua unidade. Trata-se de um trabalho em conjunto, em que a franqueadora assume o papel de aprovar as adaptações que forem feitas.

Realizar ações de publicidade e marketing

Como é objetivo da franqueadora manter a unidade da rede, cabe a ela realizar as ações de publicidade e marketing para beneficiar todos os franqueados. Isso fortalece e amplia a visibilidade da marca. São feitas, portanto, campanhas em mídias de massa, como rádio, televisão, revistas, jornais e internet. Nesse contexto, a criação geralmente fica por conta da rede e a veiculação local como responsabilidade de cada unidade.

Podemos definir o papel da franqueadora como a de difundir as boas práticas da rede, que também podem ocorrer por meio de redes internas, encontros e convenções. Dessa forma, a franqueadora consegue possibilitar a integração e interação entre os seus franqueados, tornando a rede mais unida, produtiva e coesa.

Qual é meu papel?

Como franqueado, você também tem responsabilidades, direitos e deveres. Comece com a investigação em relação à franqueadora e seus integrantes antes de assinar qualquer documento, efetuar pagamentos ou se comprometer. Parte de você a certeza de que está se vinculando a uma marca ou organização séria e saudável.

Também faz parte de sua responsabilidade o investimento dos recursos necessários para a implantação da respectiva unidade de negócios. Do mesmo modo, parte de você o investimento para mantê-la funcionando de acordo com os padrões de qualidade que são estabelecidos pela franqueadora.

Ao se tornar franqueado, você assume o compromisso de utilizar somente os produtos, serviços e fornecedores que foram definidos em contrato pela rede.

Pagar custos relacionados à aquisição, operação e gestão da franquia

Outra responsabilidade assumida por você é a de pagar à franqueadora os valores relativos à aquisição e continuidade da franquia pelo tempo determinado em contrato. Esses valores contemplam, normalmente: taxas de franquia, royalties e marketing. Outros valores também podem ser cobrados, desde que sejam previamente apresentados em contrato.

Os custos e despesas relacionados à operação e gestão do negócio também fazem parte do seu rol de deveres. Isso inclui a aquisição de insumos e mercadorias, pagamento de salários e encargos, despesas com água, energia elétrica, condomínios, impostos, manutenção de equipamentos e outros mais.

Garantir que padrões e normas do negócio sejam cumpridos

Por mais que a franqueadora tenha uma equipe destinada a ajudá-lo com os padrões, normas, processos e políticas estabelecidos, caberá também a você garantir que eles sejam cumpridos. É desse modo que, em conjunto, vocês garantirão a consistência da imagem, produtos e serviços que caracterizam a rede da qual sua franquia faz parte.

É seu papel ainda cooperar, tanto com a rede quanto com os demais franqueados, em questões ligadas ao diferencial competitivo da marca.

Por que a Lei de Franquias é importante?

Elaborada na década de 1990, quando houve um crescimento exponencial do franchising no Brasil, a Lei de Franquias veio para tornar esse universo mais justo e organizado para franqueadores e franqueados. Antes, a maioria dos negócios era feita de modo desorganizado e obscuro.

Como os Estados Unidos foram os pioneiros em franquias, o modelo brasileiro de regulamentação acabou sendo inspirado no deles. Aprovada em 1994, a Lei n.º 8.955 estabelece o conceito de franchising por meio de três elementos:

  • licença do uso da marca;
  • transferência de tecnologia e conhecimento;
  • direito de distribuição de produtos e serviços de forma sistematizada.

Apesar de ser considerada enxuta demais por alguns empreendedores, a Lei de Franquias estabelece os pontos importantes referentes à Circular de Oferta de Franquias, documento que deve ser obrigatoriamente entregue aos interessados em uma rede. Essa entrega deve ocorrer antes de assinatura do contrato final.

A Lei de Franquias especifica que o franqueador deve ser transparente em relação às informações cedidas para os interessados. Por isso, um dos pontos que ela aborda é o fato de que a rede deve oferecer para o candidato uma lista completa de franqueados, inclusive os atuais e antigos. Com isso, a ideia é que você tenha a oportunidade de entrar em contato com essas pessoas para saber se elas estão ou foram felizes com os negócios.

Como ter sucesso na franquia?

Algumas ações podem ser determinantes para que você tenha sucesso na franquia. Veja só:

Seja organizado

Por se tratar de um negócio, a franquia exige o cumprimento de muitas tarefas e responsabilidades que eram inerentes à sua rotina. Para lidar com essas mudanças e obter sucesso em seu empreendimento, é necessário adotar uma postura mais organizada e garantir o controle das questões financeiras, agenda, infraestrutura e recursos humanos.

Forme uma boa equipe

Você precisa aprender a delegar tarefas, pois o funcionamento da sua franquia depende do potencial da equipe de trabalho. Enquanto você se dedica aos aspectos estratégicos do negócio, a sua equipe fica responsável pela operação no dia a dia. O acúmulo de funções gera sobrecarga, portanto, evite isso formando um time confiável e capacitado.

Acompanhe o negócio

Não confunda a delegação de tarefas com a transferência de responsabilidades. Como franqueado, você é o dono e, assim como em qualquer negócio, a sua presença é de suma importância. Sendo assim, esteja atento ao que acontece na empresa. Realize um acompanhamento rigoroso, principalmente nos primeiros meses de operação.

Acredite no plano de negócios

O funcionamento de uma franquia segue o plano de negócios da rede, que foi elaborado com base em muitas pesquisas, experiências e análises. Por isso, acredite no plano de negócios da franqueadora. Não segui-lo ou mudá-lo aponta para a existência de uma incompatibilidade entre você e a rede.

Busque parcerias

Converse tanto com a franqueadora quanto com outros franqueados para identificar soluções e oportunidades que farão o seu negócio crescer e se tornar mais estável. Os mais experientes sempre têm histórias para contar, pois enfrentaram as dificuldades que, talvez, você esteja vivenciando no momento.

Apaixone-se pelo negócio

A escolha da franquia não deve ser baseada apenas em critérios como o retorno financeiro que ela oferece. Considere também, nesse processo, os aspectos que possibilitam satisfação pessoal e profissional, pois eles fazem toda a diferença na gestão do negócio. Quando se é apaixonado pelo que faz, trabalha-se com mais prazer e engajamento.

Prepare-se para os desafios

Por mais que você tenha o apoio da franqueadora, é necessário estar preparado para os desafios que surgem no caminho de quem deseja empreender. O modelo de franquias exige muito trabalho e acompanhamento constante. Além de lidar com os clientes e a franqueadora, você precisa administrar o negócio e gerenciar as equipes.

Saiba administrar empresas

Serão exigidos de você muitos conhecimentos técnicos para que a franquia decole e seja um verdadeiro sucesso. Entre eles, estão os relativos à administração de empresas. Saber administrar e controlar os fluxos internos é necessário para alcançar as metas e objetivos propostos pela rede de franquias.

Aprenda a fazer gestão de pessoas

A equipe que estará com você nessa jornada precisa receber uma atenção especial, afinal, serão essas pessoas as responsáveis pelos resultados da sua empresa. Aprender a fazer gestão de pessoas é fundamental para motivá-las e inspirá-las, transformando-as em grandes parceiras de trabalho que atuam juntos em prol do mesmo propósito.

Seja curioso

A sua mente precisa estar sempre aberta para o aprendizado de novos conhecimentos. São eles que expandem os horizontes e aumentam as chances de sucesso. A curiosidade move o empreendedor, ajudando-o a buscar novas soluções para problemas antigos. Ela contribui ainda com o sucesso da operação por meio da eficiência do trabalho.

Aprimore constantemente o seu aprendizado

Lembre-se que o mercado é muito competitivo. Isso faz com que haja muita gente bem preparada para enfrentá-lo. Logo, o conhecimento torna-se um dos grandes diferenciais competitivos. Aprenda constantemente e esteja em dia com as novidades no seu segmento de atuação para não perder as oportunidades de negócio.

Invista em redes consolidadas

Para ter sucesso com a sua franquia, invista nas redes que já estão consolidadas. Escolha as marcas que são referências em seus segmentos, pois elas têm um maior potencial de retorno. Pesquise bastante sobre a franqueadora antes de assumir qualquer tipo de compromisso e, paralelamente, estude o seu mercado.

Conheça o mercado

O mercado é muito amplo e apresenta diversas oportunidades, portanto, conheça-o para saber o potencial de sucesso que a sua franquia tem. Descubra novas tendências, identifique o comportamento do consumidor e saiba como suprir suas expectativas e necessidades por meio dos produtos e serviços da franquia que está abrindo.

Disponha-se a trabalhar muito

Quando trabalhamos para os outros, dificilmente nos dedicamos ao máximo. Em parte, esse comportamento se deve ao fato de não haver uma conexão muito grande entre as duas esferas. Ao se tornar dono do próprio negócio, essa situação muda. A vitória do seu empreendimento depende basicamente do seu esforço. Por isso, esteja preparado para um expediente longo e intenso.

O serviço de franquia é uma opção mais segura para os empreendedores que desejam assumir baixos índices de risco. Nele, você conta com o apoio de uma empresa que já tem um modelo de negócios consolidado, testado em outras unidades.  

Ficou com alguma dúvida sobre o assunto ou deseja fazer alguma consideração? Deixe o seu comentário a seguir!

Powered by Rock Convert