Ao se interessar pela leitura dessa postagem é possível que esteja se perguntando: ideias inovadoras para restaurante podem realmente ser aplicadas? A iniciativa vale para o meu segmento? Se essa curiosidade que lhe motivou, podemos dizer que não estamos falando apenas de uma alternativa, mas de um requisito de sobrevivência.

Isso ocorre porque, sem inovar, qualquer empresa corre o risco de disputar o mercado exclusivamente com base no preço. A inovação é o principal recurso para diferenciação e fidelização de clientes na atualidade.

De outro lado, talvez você esteja procurando inspiração para inovar. Se for essa a questão, tenha certeza de que iremos além do que a maioria dos conteúdos sobre o tema costuma abordar.

1. Parta do problema do seu cliente

Bom, vamos começar definindo um pouco melhor o que é essa tal de inovação. É importante nos dedicarmos a isso porque, para muitas pessoas, inovar é sinônimo de inventar novas tecnologias, mas não é bem assim.

A melhor definição de inovação que você vai encontrar é: a aplicação bem-sucedida de algo novo. Por aplicação bem sucedida precisamos entender que não adianta nada inventar algo extraordinário que não seja bem aceito pelo mercado — mais especificamente pelo seu público.

Portanto, “inova-ação” implica em “uma nova ação” — como fica claro quando dividimos a palavra. É preciso agir de forma a criar uma nova solução para um problema do seu cliente. Por isso, nossa primeira e mais importante dica é focar em encantar o cliente.

É isso que vai garantir que suas ações possam resultar em aumento de competitividade. Ao ler isso você naturalmente deve estar se perguntando: mas qual o problema do meu cliente? Ele não parece ter nenhum! Pois bem, a melhor forma de identificar isso é investigando, perguntando e interagindo com o seu público.

Talvez o maior problema dele seja o pouco tempo para a refeição, talvez não se sinta bem comendo em ambientes muito movimentados, ou preferisse um cardápio que o ajudasse a manter a forma.

Mas cuidado! O cliente dificilmente vai inovar por você! Ele pode até te dar boas ideias e, nesse caso, você pode aproveitar, mas será que as secretárias de décadas atrás que usavam as modernas máquinas de escrever elétricas, pensariam em um computador? Não, não é mesmo?

2. Não tenha medo de errar

Enquanto você já vai pensando sobre que tipo de problema o seu cliente pode ter, vamos abordar outro fator determinante na gestão da inovação. Há uma frase famosa de Thomas Edison que é insistentemente compartilhada nas redes sociais: “Eu não errei 10 mil vezes. Eu apenas encontrei 10 mil jeitos que não funcionam”.

Ele se referia à invenção da lâmpada e nos deixou um legado importante com essa observação. Processos muito rígidos e um ambiente profissional com uma cultura muito forte de intolerância a erros são extremamente nocivos para a inovação.

Obviamente, isso não significa que os erros devem ser aceitos e repetidos, sejam erros de atendimento, da produção ou de qualquer outro setor, mas que é preciso criar um ambiente em que as pessoas se sintam à vontade para dar sugestões de ideias inovadoras.

Elas precisam saber que, mesmo que ela não faça muito sentido e não possa ser aplicada, a iniciativa de pensar em fazer algo diferente será valorizada. Em outras palavras: é preciso dar espaço para a inovação, criando um ambiente que a favoreça.

3. Implante o cardápio e reservas online

Agora que já falamos das dicas essenciais para qualquer processo de inovação, está na hora de relacionar alguns exemplos mais práticos. Um deles é o cardápio online. Disponibilizar seu menu para que o cliente acesse as informações de onde estiver é um conforto que pode, inclusive, trazer novos clientes, além de agradar os atuais.

Obviamente, o cardápio online é uma solução parcial sem a possibilidade de reserva. Por isso, considere disponibilizá-la também, mas lembre-se que qualquer inovação deve partir do problema do cliente. Se ele não encontra dificuldade ao frequentar o estabelecimento e não precisa aguardar uma mesa, a reserva não estará, de fato, trazendo um benefício prático.

4. Esteja atento às ofertas inovadoras de fornecedores

Da mesma forma que você deve estar focado em possibilidades de inovação para o seu negócio, seus fornecedores também estão se dedicando nessa tarefa. Novos equipamentos e soluções surgem o tempo todo e, na grande maioria das vezes, trazem ganhos operacionais que podem contribuir para sua lucratividade e produtividade.

Novas formas de expor produtos, processar alimentos e até mesmo de comercializar insumos podem te ajudar a inovar o ambiente, os pratos e a forma de produzir os alimentos.

5. Considere as inúmeras dimensões da inovação

Uma das novidades que ainda podem ser consideradas como inovação é o atendimento eletrônico. Muitos restaurantes já estão trabalhando com o pedido por meio de tablets e smartphones. Assim, o cliente faz sua solicitação diretamente para cozinha ou, caso precise de auxílio, com a ajuda do garçom — que não precisa perder tempo caminhando para entregar a comanda.

Além disso, você pode pensar em alterar a aparência dos pratos, do ambiente, formas alternativas de entrega e ganho de produtividade. Observar a concorrência ajuda muito a pensar em novas opções para o seu negócio.

Nesse caso, você não precisa se limitar aos seus concorrentes diretos. Os grandes centros costumam produzir novidades o tempo todo e, muitas vezes, as boas sacadas estão distantes e vale a pena se deslocar atrás delas.

É por essas questões que a prática da gestão da inovação costuma relacionar diferentes dimensões para aplicar novas formas de fazer uma tarefa e resolver um problema. Isso significa que, necessariamente, não é preciso fazer uma revolução para inovar.

Inovações podem ocorrer na dimensão comercial, operacional, de relacionamento, de atendimento, de produção e assim por diante. Muitas vezes trata-se de um detalhe simples. Pode ser uma nova forma de comercializar, como ocorreu no caso das máquinas de café expresso domésticas, por exemplo.

Quando o foco passou a ser em vender o refil (cápsulas) de cafés, o mercado foi praticamente dominado por essa nova forma de comercialização. Nesse caso, a empresa notou que havia resistência de grande parte do público na compra da máquina e elaborou um modelo de negócios que, no médio e longo prazo, se mostra muito mais lucrativo.

Para concluir, saiba que ideias inovadoras para restaurante devem fazer parte de sua rotina e não podem ser uma atividade isolada. Isso ocorre porque a tendência é de que, ao perceber o sucesso do seu negócio, a concorrência imite o que você está fazendo. Como ela tem a chance de observar a inovação ocorrendo na prática, ainda tem a vantagem de poder aprimorá-la. Por isso, inovar deve ser uma prática constante.

Ficou alguma dúvida? Tem alguma observação? Esse é um tema ótimo para debater! Por isso, deixe seu comentário nessa postagem!

Powered by Rock Convert