Pesquisar diversos restaurantes é tarefa obrigatória para os donos desses estabelecimentos. De um lado, uma busca pela internet pode oferecer informações como a decoração, premiações do estabelecimento, estilo do cardápio e profissionais que trabalham como chef’s.

De outro, verificar as impressões pessoalmente também é importante. Conhecer a atmosfera do lugar, a vizinhança, o perfil dos clientes, o atendimento da equipe, a apresentação e precificação dos pratos permite uma melhor compreensão do local.

Os restaurantes dos jurados do MasterChef Brasil são excelentes referências para se manter atualizado e se inspirar para inovar no estabelecimento. Por isso, neste post, reunimos algumas informações relevantes sobre os chef’s Henrique Fogaça, Paola Carossela e Erick Jacquin e os seus restaurantes. Acompanhe!

Reality show fenômeno mundial e sucesso no Brasil

O MasterChef Brasil veio para ficar. O programa é exibido pela Band desde 2014 e já contou com sete edições, quatro para amadores, duas para profissionais e uma para jovens. Na competição de culinária, ocorrem atividades individuais ou em equipe e os participantes devem comprovar suas habilidades em provas desafiadoras. 

Os jurados avaliam diversos aspectos: conhecimento técnico, criatividade, repertório de receitas e ingredientes, paladar, versatilidade, organização do tempo e capacidade multitarefa, e elegem participantes em destaque e eliminados.

Os jurados, prestigiados na gastronomia, com inúmeros prêmios na área, ganharam fama nacional com o programa. Henrique Fogaça, Paola Carosella e Erick Jacquin acrescentam drama durante as degustações, ao desmontarem as elaboradas montagens dos pratos e manterem contato “olhos nos olhos” com os participantes.

O brasileiro do trio 

Sendo o único brasileiro dos jurados, Henrique Fogaça iniciou sua carreira de sucesso em uma lanchonete. Hoje, ele está à frente de quatro empreendimentos gastronômicos que oferecem preparações contemporâneas inspiradas na cozinha nacional. Repleto de tatuagens, o chef, com aparência mais séria dos três, costuma dizer aos competidores: “com esse prato aí, você vai sentar na graxa”.

Conheça os estabelecimentos de Henrique Fogaça:

Sal Gastronomia

O restaurante, em Higienópolis, está instalado em área compartilhada com outro empreendimento de Fogaça, o Admiral’s Place. O ambiente industrial exibe paredes de tijolos descascados, piso de cimento queimado, elementos arquitetônicos de ferro e salão com vista para cozinha envidraçada.

Alguns destaques do cardápio (acesse aqui) com influência nacional são: a tostada de polvo ao vinagrete, cupim na manteiga de garrafa, costela de porco com tomate assado, magret de pato ao vinho do porto, nhoque de mandioquinha com ragu de javali e suflê de goiabada com requeijão. Recentemente foi inaugurada a filial no Shopping Cidade Jardim, em São Paulo.

Admiral’s Place

Nesse refinado bar, prevalece cores quentes e escuras, com papel parede rebuscado, piso acarpetado, recoberto por tapete, e abajures sobre mesas de apoio ao lado de poltronas de couro capitonê.

A especialidade são as bebidas, single malts, bourbons, destilados, cervejas, vinhos e coquetéis elaborados. O menu reduzido (acesse aqui) oferece sofisticados petiscos, carpaccio de kobe, patê campagne, ragu de javali e salmão curado artesanal.

Jamile

No tradicional Bixiga, em São Paulo, bairro das cantinas italianas, o restaurante tem atmosfera despojada e decoração industrial. Uma grande parede de tijolos descascados compõe o restaurante com cores claras e forro de tela de metálica.

Um longo balcão abriga a cozinha aberta para o salão. No cardápio (acesse aqui), fettuccine negro com frutos do mar, nhoque de batata e agrião com ragu de rabada, risoto de tangerina com magret de pato, panna cotta com frutas frescas e calda de maracujá.

Cão Véio

Com unidades em São Paulo e Brasília, tudo nesse estabelecimento é inspirado nos cachorros. A decoração é marcada pelo estilo de pub, além da atmosfera vintage e os nomes dos pratos.

O restaurante oferece cervejas artesanais e premium, além de coquetéis clássicos e refeições rústicas, hambúrguer de kobe, sanduíche de pastrami, picadinho de filé mignon, polenta com frango na cerveja e banana caramelizada com sorvete.

A chef argentina

Paola Carosella, argentina e descendente de italianos, é entusiasta de uma culinária simples e artesanal que conheceu na infância, numa cozinha agitada em meio à horta, pomar e criações de animais.

Trabalhou com vários chefs importantes do mundo e na capital paulista lidera dois estabelecimentos. Musa entre seus colegas homens, a jurada que se apresenta como cozinheira intuitiva e não como chef, comenta sobre a qualidade dos pratos dos participantes com precisão e riqueza de detalhes.

Veja como são os restaurantes da Paola Carosella:

Arturito

Numa área calma de Pinheiros, São Paulo, está o lugar que explora na decoração madeira, plantas, cadeiras trançadas e longos sofás que se estendem pelo salão. A culinária afetiva, clássica mediterrânea, com influências no Brasil e nas origens da cozinheira, remete a um almoço no sítio da família, numa bucólica cidadezinha do interior da Europa.

O cardápio informa a procedência dos ingredientes, a maioria orgânicos e artesanais, em preparações como pão de fermentação natural, fígado de frango com bagna càuda, magret de pato curado artesanal, polvo com feijão manteiguinha, e rabanada de brioche com creme inglês e laranjinha kinkan.

La Guapa Empanadas Artesanais e Café

As três casas, em São Paulo, funcionam em ambientes bastante informais com balcão de atendimento, poucas mesas, algumas na calçada, piso rústico, paredes brancas com barrado de madeira, painel de azulejos vintage e luminárias pendentes.

As empanadas são oferecidas em versões clássicas, como a salteña de carne, outras criações, como a mineira de taioba e ora-pro-nóbis. Os doces também são atração, alfajor, tabletón, marcados por camadas de massa crocante recheadas de doce de leite e sorvete artesanal.

O respeitável francês

Erick Jacquin, reconhecido internacionalmente por apresentar a gastronomia francesa de forma única no Brasil, extrapola talento na cozinha. O chef presta consultoria, atua em eventos e também vende produtos diversos pela internet, desde temperos até souvenires.

O mais divertido dos jurados do MasterChef provoca gargalhadas ao se atrapalhar com a pronúncia e dizer “tá faltando tômpero”.

Saiba como são os restaurantes sob o comando de Erick Jacquin:

Tartar&Co

Em Pinheiros, São Paulo, o animado bistrô de Jacquin tem decoração dramática, com muito preto e vermelho, além de uma porção de textos manuscritos espalhados pelo teto, paredes e mobiliário.

A ampla carta de vinhos acompanha o menu (acesse aqui) que prioriza a culinária francesa. A especialidade desse restaurante é o tartar de carne e suas variações de atum e salmão, ao lado de outros clássicos, como o croque monsieur, a sopa de cebola, rã provençal, salmão com ratatouille, entrecôte béarnaise, crème brûlée e mil folhas.

Le Bife

No Itaim, em São Paulo, fica este estabelecimento com consultoria de Jacquin. Cores neutras, branco, cinza e preto, combinadas com madeira, conferem estilo sóbrio ao ambiente. O nome aponta, o local é especializado em carnes.

No cardápio (acesse aqui), algumas opções são: filé mignon de cordeiro, entrecôte de black angus, bisteca de porco, com opções de molho poivre vert, marchand du vin, entre outros, acompanhadas de salada e guarnições que chegam à mesa em rodízio, entre as sobremesas petit gâteau, tarte de maçã verde e vacherin de frutas vermelhas.

Agora que você já conhece alguns aspectos dos restaurantes dos jurados do MasterChef Brasil, incorpore a prática de pesquisar regularmente outros estabelecimentos. Mantenha-se sempre atualizado e promova renovações constantes no seu empreendimento.

As informações foram relevantes para você? Então, não deixe de compartilhar esse conteúdo nas suas redes sociais. Até a próxima!

Powered by Rock Convert