Afinal, abrir um mercado na crise vale a pena?

Quem pensa em montar um negócio próprio pode se questionar se é vantajoso abrir um mercado na crise ou não. Como você talvez já saiba, períodos de economia em queda trazem muitos problemas para o país e para as famílias em geral, mas também escondem diversas oportunidades de empreendedorismo.

Não é à toa que existe uma frase bastante usada em contextos de recessão econômica: “enquanto uns choram, outros vendem lenços”. Além disso, na crise é comum haver uma espécie de reorganização em cada segmento empresarial, com o declínio de alguns estabelecimentos e a ascensão de outros.

Diante desse cenário, conheça em seguida alguns benefícios de se abrir um mercado e confira várias dicas para montar o seu.

Cinco vantagens de se abrir um mercado

1. Ter horário flexível

As grandes redes de supermercado, via de regra, atendem das 8h às 22h, com exceção de algumas lojas que são abertas durante as 24 horas. Por esse motivo, é comum elas terem vários turnos de trabalho.

Entretanto, quando se trata de um mercado de bairro, o proprietário pode fazer um horário alternativo, inclusive, com pausa para o almoço. O fechamento diário também tende a ser bem mais cedo do que o dos supermercados tradicionais.

Além disso, muitos mercados pequenos não abrem nos domingos e nos feriados. Assim, o dono pode aproveitar melhor o tempo com a família para atividades de lazer.

2. Fazer o que gosta

Se a pessoa atua numa área de que gosta, é normal nem ver o tempo passar, ao contrário, o trabalho passa a ser penoso. Dessa forma, se você sente que tem inclinação para se dedicar a um mercado, essa pode ser uma excelente oportunidade de fazer aquilo que aprecia.

Além disso, o fato de você gostar do próprio trabalho contribui para que busque sempre aperfeiçoar a atividade, por exemplo, por meio de inovações na infraestrutura e no atendimento. Afinal, quem “respira” o que faz tende a identificar mais facilmente oportunidades de melhoria do que quem apenas usa o negócio como meio de renda.

3. Poder investir em algo de que a população precisa

Um dos grandes receios do empreendedor que pretende abrir um mercado é o risco de uma futura falência devido à crise. Embora esse perigo realmente exista, principalmente devido às falhas na gestão, não se pode negar uma característica fundamental do ramo de mercados em geral, que é a demanda regular.

Numa crise, as pessoas fazem cortes sucessivos no orçamento, que incluem TV por assinatura, cinema, shopping, serviços terceirizados, compras de bens duráveis etc., mas não podem abrir mão de adquirir gêneros alimentícios, por uma questão de sobrevivência. Desse modo, o ramo de mercados é um dos últimos a sentir os impactos de uma crise.

Logo, como as pessoas precisam desse tipo de estabelecimento, abrir um mercado é uma oportunidade de não só atender a demanda da população, como também de ter o próprio negócio.

4. Colher os frutos do próprio trabalho

Trabalhar para os outros e não poder participar da colheita dos frutos gera frustração em muitos profissionais. Pelo contrário, ao se abrir um mercado, o proprietário passa a obter sozinho os lucros do negócio.

Embora ele também tenha que assumir as responsabilidades da empresa, como o pagamento de tributos, no longo prazo existe a possibilidade de ganhos significativos sobre o capital investido.

5. Proporcionar melhores condições de vida para a família

À medida que você ganha experiência no ramo de atuação e o negócio passa a dar resultados, é possível melhorar bastante o padrão de vida da família. É claro que isso não ocorre do dia para a noite, pois, primeiro, é preciso criar bases fortes para a empresa. Ainda assim, no futuro, os lucros conquistados contribuem para que o dono do mercado proporcione maior conforto para os familiares.

Você se interessou por abrir esse tipo de negócio? Então, confira alguns toques para colocar essa ideia em prática. Continue a leitura!

Cinco dicas para abrir um mercado e ter sucesso com ele

1. Comece com itens mais básicos

Ao pensar em abrir um mercado, muita gente se desanima por acreditar que não terá o dinheiro suficiente para deixá-lo bem “sortido”, ou seja, com grande variedade de itens. Contudo, saiba que esse não deve ser um empecilho para se começar um negócio.

Note, por exemplo, que o Princípio de Pareto ou regra 80/20 é bastante aplicado à administração de estoques. Nesse caso, a tendência é de que 20% das mercadorias atendam a 80% da demanda. Num mercado, tais produtos seriam os da cesta básica (arroz, feijão, óleo etc.).

2. Pense nos equipamentos mais importantes

Para abrir um mercado, inicialmente adquira os equipamentos essenciais à operação do estabelecimento, como prateleiras, caixa, freezer e balança. Depois, com a consolidação do negócio, você pode aprimorar a infraestrutura do mercado, para melhorar o atendimento e à diversidade de mercadorias.

3. Não contrate funcionário

Por mais que os mercados tenham demanda regular, no começo da operação é comum haver os custos de implantação do negócio. Por esse motivo, contratar funcionário desde o início da atividade pode pesar na manutenção da empresa. Em geral, muitos mercados de bairro tem como “funcionários” a própria família do dono do comércio.

4. Controle o fluxo de caixa

Uma gestão eficiente da parte financeira do mercado é fundamental para que se tenha sucesso a longo prazo. Para tanto, é indispensável que o proprietário faça um controle rígido do fluxo de caixa, isto é, monitore a entrada e a saída de recursos diariamente.

Com isso, ele passa a ter dados confiáveis de quanto vende e de quanto gasta para manter a empresa. Depois de obter essas informações, ele pode calcular se o mercado realmente dá lucro.

5. Busque ter giro de mercadorias

Em todo o período de atuação, mas principalmente no começo, é recomendável ter um alto giro de mercadorias do mercado. Com isso, o empreendedor evita ter capital imobilizado. Já com a rápida entrada e saída de produtos, o proprietário “faz dinheiro” de modo mais ágil, o que contribui para pagamento dos custos de implantação e, mais tarde, para obtenção de lucro.

Uma maneira de colocar essa estratégia em prática é observar bem as necessidades dos clientes, para dispor de mercadorias com forte apelo junto ao público-alvo.

Percebeu as vantagens de abrir um mercado até mesmo na crise? Seguindo essas dicas, pode ter certeza que o seu empreendimento será um sucesso. 

Gostou das nossas dicas? Assine, então, a nossa newsletter e receba diretamente no seu e-mail as próximas novidades!

 

Deixe um comentário